terça-feira, 26 de junho de 2018

Plantago ovata - Fibra que regula o Intestino Preso


O Plantago ovata é uma planta que pertence à família de splantaginaceae, suas sementes incham com a água e crescem no intestino, garantindo maior sensação de saciedade e estimulando os movimentos intestinais, porém para ter o efeito desejado deve ser consumido com água. 

As sementes têm mucilagem que forma uma camada que facilita o trânsito intestinal sendo usado como laxante suave. Metamucil, Plantacil, Planta Bem e Plantagold são os mais conhecidos e facilmente encontrado nas drogarias.

Em que casos é utilizada: 


- Em casos de constipação, que exigem um laxante suave como: gravidez, em pacientes idosos, pessoas com hemorroidas inflamadas ou que tenham sido submetidos a uma operação.

- Para evitar a constipação, evitar esforço durante defecação, os pacientes com fissura anal.

- Na diarreia de origem funcional e como uma medida adicional nos casos de doença de Crohn.

- Se for necessário aumentar o consumo diários de fibra, e em situações de síndrome do intestino irritável, diverticulose, em dietas hipercolesterolemia e dietas para perder peso.

O mercado farmacêutico oferece Plantago ovata de maneiras diferentes:

- Envelopes - tomado por via oral pode afetar a ação de outros medicamentos, informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar outros medicamentos como sais de lítio, anticoagulantes orais, digoxina, tetraciclina ciprofloxacino, insulina.

- Em pó ou em grânulos - A dose recomendada deve ser definida pelo seu médico. A dose não é sempre a mesma para todas as pessoas. Consulte o seu médico ou farmacêutico sobre a sua dosagem. 

Se você está tomando Plantago ovata:

- É aconselhável beber muita água, pelo menos 2 litros ao longo do dia. 

- Não dar às crianças plantago ovata abaixo dos 6 anos a menos que recomendado por seu médico.

- Em pacientes idosos o uso de Plantago ovata deve ser administrada com cautela. Há relatos de efeitos adversos, incluindo uma perda significativa de potássio.

Não usar Plantago ovata:
 

- Se você tiver obstrução intestinal. 

- Em caso de alergia ao medicamento ou aos seus componentes.

- Se houver sangramento, sintomas de apendicite ou cólon lento.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Cure seu Fígado com esses Remédios Naturais






O Fígado é um dos órgãos mais importantes do ser humano, se ele parar de funcionar causa danos a outros órgãos e pode até levar à morte.


Alterações nas enzimas do fígado tem sido cada vez mais comum, sendo a Gama-GT, AST e ALT, também conhecidas pelas siglas TGO e TGP, ferramentas essenciais para o diagnóstico das doenças do fígado. Os primeiros sinais e sintomas de problemas no fígado são a dor abdominal do lado direito e a barriga inchada.

Você sabia que dietas, infecções e condições hereditárias estão entre as principais causas de doenças hepáticas?

Existem mais de 500 processos realizados pelo fígado, incluindo: limpar o sangue, filtrar as toxinas, converter alimentos em nutrientes para o corpo e ajudar no equilíbrio, digerir gorduras e, quando tomado medicamente, serve ponte para que isso tenha o efeito desejado.

A partir disso, partimos da importância de cuidar e curá-lo quando está doente, caso contrário, não podemos funcionar bem.

É por isso que vamos rever algumas das doenças mais comuns primeiro e, em seguida, alguns tratamentos completamente naturais que ajudarão você a ser saudável.

DOENÇAS COMUNS NO FÍGADO

Existem várias doenças que podem afetar este órgão importante do corpo, mencionamos hepatite A a D, o primeiro é contagioso de pessoa para pessoa, o segundo leva ao aparecimento de câncer de fígado, o terceiro através do Comida ou sangue e o último pode ser espalhado como o terceiro ou através de relações sexuais.

Há também o fígado gordo que vem através do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, bem como a cirrose.

E aquele que é hereditário é sobre a doença de Wilson e hematose .

Os sintomas podem ser diferentes entre uma virada e outra, mas os mais comuns são:

- Dor no lado direito do estômago;

- Sentir-se enjoado, cansado por nenhuma razão;

- Pele e olhos visíveis amarelo;

- Ondas na área do abdômen;

- Dores de cabeça;

- A pele se torna mais sensível e perda de apetite também ocorre.

Na presença de qualquer um desses sinais, é oportuno comparecer a uma consulta com um especialista.

MEDICAMENTOS NATURAIS PARA O FÍGADO


Concentre-se em algumas coisas que você deve consumir, cruas ou cozidas para limpar e proteger o fígado.

Beterraba

A beterraba tem betacaroteno que ajuda ao bom funcionamento bem como à purificação do sangue além de auxiliar na prevenção do câncer e outras doenças mais. Você pode fazê-lo no suco ou adicioná-lo às saladas das refeições. Se preferir em uma bebida, coloque dois limões juntamente com uma beterraba de bom tamanho, misture-os e coloque-os no liquidificador.

Alho

Para eliminar as toxinas que se acumulam, recomenda-se o alho, que faz uma limpeza profunda além de fornecer proteção. Você pode consumi-los crus diariamente ou incluí-los no tempero das refeições. Ele pode ser combinado com grapefruit e gengibre, preparando um bom suco que melhora a limpeza . Para duas toranjas você vai adicionar dois alho e uma fatia de gengibre que você deve ralar para introduzi-lo completo no liquidificador.

Maça

Suco de maçã é outra bebida que você pode beber continuamente por dois dias, combinando-o com a ingestão de vegetais e frutas. Deve ser da fruta natural e tomar sem açúcar.

Limão


Um suco de limão também é recomendado por seu poder de queimar gordura, mas também purifica e desintoxica o que impede que o fígado se torne gorduroso. Você deve tomar de preferência em jejum. Há duas maneiras de fazê-lo, por um lado, cozidos por cerca de cinco minutos e aquecer e sem açúcar; a outra é aquecê-lo quando se levantar e antes de ir para a cama.

Azeite

Finalmente, o azeite ajuda a limpar a vesícula biliar, combinando uma colherada com um pouco de limão e alho, também em jejum. Eles são misturados e tomados por duas semanas para ver os efeitos positivos em seu corpo.

TOME ESTAS PRECAUÇÕES PARA CUIDAR DAS DOENÇAS DO FÍGADO

As dicas a seguir ajudarão você a evitar doenças relacionadas ao fígado:

- Mantenha uma boa dieta em que não faltam frutas e vegetais, contendo antioxidantes, fibras e vitaminas.

- Cuidado com excesso de peso evitando alimentos com muita gordura ou muito picante como eles inflamam.

- Crie uma rotina saudável de exercícios que ajuda a manter o equilíbrio corporal.

- Não se auto-medicar, consuma apenas aqueles prescritos por um médico para uma determinada doença.

- Verifique os valores constantemente e, se forem alterados, verifique se não há danos maiores.

- Não consuma álcool em excesso e evite cigarros.

Como você pode ver, cuidar de si não é complicado ou caro. Requer apenas autodisciplina e estar disposto a fazer sacrifícios, que valem a pena para a saúde .

Além disso, aproveitar tudo o que temos ao nosso redor nos ajuda a estar sempre saudáveis.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Qual o melhor Ômega 3 para Grávidas?


O ômega 3 é um dos suplementos mais vendido nas farmácias do Brasil e a maioria dos consumidores não sabem a diferença de EPA (ácidos eicosapenta­enoico) e DHA (docosahexaenoico) e quais benefícios estes ácidos graxos trazem para saúde. Por isso é preciso estar informado e prestar atenção nos rótulos para adquirir um suplemento de qualidade e que possa trazer resultado no tratamento e prevenção das doenças.

O ômega 3 é um conjunto de gorduras formado por EPA e o DHA e são do tipo ácidos graxos poli-insaturados. São encontrados em maior quantidade em alimentos como peixes, frutos do mar e óleo de peixe. Também são vendidos como suplementos nutracêuticos nas farmácias.  


O DHA e EPA são boas fontes de gorduras que trazem diversos benefícios à saúde. Como não produzidos nem o EPA nem o DHA, é necessário consumi-los através da alimentação ou verificar a necessidade de suplementação.

Ação do DHA e EPA no Organismo

O EPA tem ação anti-inflamatória, atua na produção de substâncias anti-inflamatórias chamadas chamadas de prosta­glandinas E3. Seus principais benefícios estão relacionados à saúde cardiovascular e problemas circulatórios e também pode impedir que as plaquetas se unam formando trombos (coágulos) que podem causar trombose e derrame cerebral (AVC). Além disso, o EPA pode ser usado por pessoas que apresentam sintomas ou doenças de caráter inflamatório, como celulite, obesidade e artrite reumatoide.

Já o DHA por ser composto de gordura é um ótimo alimento para o cérebro. Dentre seus benefícios, o que se destaca está relacionado à melhora dos processos cognitivos, como o funcionamento da memória e o correto funcionamento dos neurônios, atuando de forma neuro protetora.

O DHA contém propriedade antioxidante e está envolvido com diversos processos cognitivos, além da correta sinalização entre os neurônios. Há estudos que afirmam que o DHA pode impedir a formação de substâncias deletérias para o cérebro e aumentar a produção de substâncias anti-inflamatórias e neuro protetoras, tendo efeito protetor contra doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson. O DHA também tem papel importante no desenvolvimento fetal, além de fazer parte da retina dos olhos.

Qual a melhor opção: EPA + DHA ou somente DHA?

Para a saúde em geral, recomenda-se uma suplementação que contenha 3 partes de EPA para cada 2 partes de DHA, por exemplo, para cada 300mg de EPA, 200mg de DHA. Tal proporção reproduz a quantidade de EPA e DHA encontrada naturalmente nos peixes oleosos de águas frias e profundas.

No entanto, dependendo do objetivo, suas proporções podem variar. Quando há a necessidade de uma ação anti-inflama­tória geral potencializada, o recomendado é uma maior proporção de EPA, e, quando se deseja ação mais direcionada ao cérebro e aos olhos, maiores quantidades de DHA são recomendadas. Por exemplo:

- Para prevenção e tratamento de reumatismo e inflamações e dores no corpo; melhor escolher o suplemento com maior quantidade de EPA.

- Para prevenção de Alzheimer e perca de memória escolher o suplemento de ômega 3 com maior quantidade de DHA.

- Para gestante, a melhor suplementação é com ômega 3 com maior quantidade de DHA para o desenvolvimento fetal.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Nunca tome estes Chás com Medicamentos

A automedicação está cada vez mais presente no dia-a-dia do brasileiro e a maioria das informações fornecidas é de leigos na área da saúde que levam a prática indiscriminada de qualquer produto como medicamentos e plantas medicinais.

A utilização de chás é cultural no Brasil, tomam chá para tudo, desde um resfriado até pressão alta. Porém utilizar plantas medicinais sem o devido conhecimento pode causar uma série de problemas para saúde como intoxicação e até câncer.

Muitas plantas medicinais podem conter além dos princípios ativos benéficos ao organismo, substancias tóxicas. A falta de conhecimento às condições de cultivo da planta, a correta identificação, o modo de usar e os efeitos adversos é o suficiente para levar a um quadro de intoxicação.

Veja alguns exemplos de plantas que ingeridas com medicamentos tem efeito tóxico


Alcachofra

A alcachofra é muito utilizada para melhorar a digestão e diminuir o colesterol. Mas quando utilizada com diuréticos (furosemida, clortalidona, hidroclorotiazida, indapamida) pode causar pressão baixa, perca de potássio e diminuir o volume sanguíneo.

Alho

O alho é utilizado no tratamento de colesterol alto e pressão alta. Quando utilizado com anticoagulantes como a varfarina causa sangramento. Para quem usa insulina e glipizida, se utilizar com alho pode levar a baixa de glicose no sangue causando hipoglicemia. O alho também não pode ser utilizado por pacientes que tomam medicamentos para tireóide, uma vez que suplementos contendo alho podem afetar a tireóide.

Boldo

O boldo é muito usado para melhorar a digestão, porém a boldina presente no boldo pode causar inibição plaquetária e sangramentos, por isso não deve ser utilizado com anticoagulantes.

Camomila

Planta muito utilizada para aliviar cólicas, inflamações, má digestão e insônia, mas se consumida com varfarina aumenta o risco de sangramento. Com fenobarbital e sedativos pode aumentar a ação depressora do sistema nervoso central. O chá de camomila se utilizado constantemente pode causar anemia, pois reduz a absorção de ferro ingerido através dos alimentos ou medicamentos.

Cáscara Sagrada

A cáscara sangrada é utilizada para melhorar a prisão de ventre. Usar com hidroclorotiazida ocasiona a perca de potássio, desidratação, diarréia e aumento da pressão sanguínea.

Castanha da Índia

Planta muito usada no tratamento de varizes, dores nas pernas e hemorroidas. Deve ser usado com cautela, pois pode causar sangramentos se utilizada com AAS, varfarina, heparina, clopidogrel e anti-inflamatórios como ibuprofeno e naproxeno. 


Quem utilizada insulina e medicamentos para diabetes deve ter cuidado, pois a castanha da índia pode aumentar o efeito destes medicamentos. A castanha da índia altera o efeito de medicamentos como omeprazol, podendo irritar o estômago. Evite o uso com sene, pois aumenta o efeito laxativo.

Cimicífuga

Muito utilizada no tratamento da menopausa, a cimicífuga pode desencadear interação com estrógenos e contraceptivos orais suprimindo a secreção de LH. Esta planta também pode aumentar o efeito dos anti-hipertensivos causando pressão baixa.

Equinácea

Planta muito utilizada no tratamento de resfriados e infecções urinárias, a equinácea se usada por mais de 2 meses pode causar danos no fígado. Não deve ser utilizado juntamente com anabolizantes, metotrexato, cetoconazol e amiodarona, pois ocasionar intoxicação no fígado.

Erva-cidreira

A erva-cidreira é muito conhecida como calmante, sedativo e antiespasmódico, porém deve ter cuidado se utilizada com antidepressivos e medicamentos para tireóide como a levotiroxina.

Erva de São João

Utilizada no tratamento de depressão, a erva de são joão pode diminuir a absorção de ferro, diminuir o efeito dos anticoncepcionais e ocasionar sangramentos.

Interage com omeprazol, lansoprazol e piroxicam aumentando a fotossensibilidade. Drogas que a Erva de São João aumenta o efeito potencializando as reações adversas são: omeprazol, cafeína, carbamazepina, midazolam, sinvastatina, amitriptilina, varfarina.

Erva-doce

Muito utilizada para combater cólicas abdominais, a erva-doce se utilizada com clonazepam, nitrazepam ou outras drogas hipnóticas poderá prolongar o efeito sedativo.

Eucalipto

O eucalipto tem efeito anti-séptico e expectorante, mas se utilizado junto com outros medicamentos pode diminuir a ação. Se utilizada com clonazapem, fenobarbital e álcool altera o raciocino e o sistema nervoso. Em pacientes diabéticos pode causar diminuição da glicose no sangue.

Gengibre

Usado para combater gripes, resfriados e náuseas, o gengibre estimula a produção de ácido clorídrico estomacal diminuindo o efeito de alguns medicamentos como ranitidina e lansoprazol. Se o gengibre for ingerido com AAS, varfarina, clopidogrel, ibuprofeno e naproxeno pode aumentar o risco de sangramento. Também pode atrapalhar o efeito de medicamentos como propranolol, atenolol, metropolol.

Ginkgo biloba

O Ginkgo biloba é um dos fitoterápicos mais utilizados no tratamento de vertigens, zumbidos e circulação. Porém se usado com AAS, clopidogrel, varfarina e antiinflamatórios como naproxeno e ibuprofeno pode aumentar o risco de sangramento. 

O Ginkgo biloba também pode interagir com alho, vitamina E. Se usado com fenitoína pode causar dor de cabeça, tremores e surtos. O uso com sertralina pode desencadear aumento dos batimentos cardíacos e agitação.

Doses elevadas de Ginkgo biloba pode reduzir a fertilidade em homens e mulheres.

Ginseng

O Ginseng é muito utilizado no combate a fadiga física e mental. Se utilizado com varfarina, clopidogrel , AAS, ibuprofeno e naproxeno aumenta o risco de sangramento. Em diabéticos o ginseng diminui a glicose no sangue causando hipoglicemia. 

Outro efeito colateral do ginseng é desencadear efeitos estrogênicos causando sensibilidade nas mamas, alterar o período da menstruação, sangramentos vaginais, em homens pode aumentar o tamanho das mamas e diminuir a ereção.

O ginseng não deve ser usado se estiver tomando antidepressivo pois pode causar tremores, dor de cabeça e insônia. Para hipertensos o uso do ginseng não é recomendado pois altera a pressão sanguínea e diminui o efeito de medicamentos como nifedipino, anlodipino, atenolol, metropolol.

Guaco

O guaco tem efeito expectorante e broncodilatador. Esta planta já tem efeito benéfico se utilizado com antibióticos.

Guaraná


Muito utilizado como estimulante, o guaraná aumenta o efeito de analgésicos e se for utilizado com anticoagulantes pode causar sangramentos.

Hortelã

A hortelã muito usado como expectorante, pode diminuir a absorção de ferro, aumenta o efeito da sinvastatina, camomila, alcaçuz, equinácea e vários medicamentos por alterar o sistema enzimático hepático citocromo p450.

Kava-kava

O kava-kava é indicado para tratar ansiedade, insônia e tensão nervosa. Porém o Kava-kava tem alta toxicidade hepática, não sendo recomendado o uso por mais de 3 meses. Se utilizada com amiodarona, metotrexato, paracetamol e antifúngicos como o cetoconazol pode causar sérios danos no fígado.

O uso de Kava-kava com álcool, fenobarbital, clonazepam, bromazepam pode potencializar o efeito destes medicamentos

Maracujá

Um dos calmantes mais utilizados hoje em dia, tem como principio ativo a passiflora. O maracujá pode aumentar o efeito de hipnóticos e ansiolíticos como alprazolam. O uso do maracujá com álcool, lorazepam, diazepam, fenobarbital, codeína e antidepressivos aumenta a intensidade da sonolência.

Outro problema é o uso do maracujá junto com AAS, varfarina, nimesulida, ibuprofeno e naproxeno, pois pode causar sangramento.

Salgueiro

O salgueiro, Salix Alba é um antiinflamatório e analgésico, porém o uso com paracetamol e AAS não é recomendado, pois pode causar danos nos rins.

Sene

Um dos laxantes mais utilizados, o uso de sene pode atrapalhar a absorção de medicamentos por aumentar o transito intestinal, um exemplo é os anticoncepcionais que tem eficacia diminuída, podendo levar a uma gravidez indesejada. Outro problema é a perca de potássio causado pelo uso de sene que é piorado se utilizado com diuréticos como furosemida e hidroclorotiazida, que pode levar hipocalemia.

Saw palmeto

Usado no tratamento da próstata, o Saw palmeto não deve ser utilizado com finasterida, pois afeta os hormônios sexuais masculinos. Também pode aumentar o risco de sangramento se utilizado com AAS, varfarina e antiinflamatórios.

Tanaceto


Usado para tratar a enxaqueca, o Tanaceto apresenta atividade anticoagulante e se usado com AAS, varfarina , clopidogrel e antiinflamatórios pode aumentar o risco de sangramento.

Uva-ursi

Utilizado no tratamento de infecção urinária, a uva-ursi não pode ser consumida com alimentos e medicamentos que acidificam a urina.

Valeriana


A Valeriana é um planta muito utilizada no tratamento da insônia, tem efeito calmante e sedativo. Porém deve ter precaução se utilizada com clonazepam, bromazepam, alprazolam, fenobarbital, antidepressivos, álcool e anestésicos, pois aumenta o tempo de sedação. E com medicamentos que utiliza o metabolismo hepático, a valeriana pode interagir atrapalhando a ação destes medicamentos.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Temperos Naturais que substitui o Sal de Cozinha


O sal é um dos vilões da atualidade e tem causado sérios problemas de saúde, dentre eles a pressão alta - hipertensão - e danos renais. É difícil combater este problema, isso porque desde sempre nós nos acostumamos a comer tudo temperado com o sal de cozinha.

O que torna o sal um grande vilão é que ele é a principal fonte de sódio que consumimos, podendo causar aumento da pressão arterial levando a problemas mais sérios de saúde, como a hipertensão e sobrecarregar os rins.

Uma das formas de manter o sal longe do prato ou pelo menos diminuir as quantidades dele nas receitas pode ser mais fácil do que você imagina. A substituição do mineral por outros temperos naturais dá novo gostinho às preparações e ainda por cima promove uma onda de boa saúde.

Os temperos naturais ou condimentos melhoram o sabor, aroma e aparência dos alimentos preparados, confira abaixo alguns temperos que te ajudam a se manter longe do sal.


Alho e Cebola


O alho contribui para a diminuição da pressão sanguínea e dos níveis de colesterol. Já a cebola inibe a ação de algumas bactérias e fungos prejudiciais ao nosso organismo e diminui os riscos de trombose e aterosclerose. Estes temperos também ajuda na prevenção de alguns tipos de câncer, como o de pulmão, estômago, próstata e fígado.

Sálvia



A Sálvia é uma erva usada como condimento e como planta medicinal por sua ação anti-inflamatória e por ser estimulante da digestão. É indicada nos casos de falta de apetite, edema, afecções da boca, afta, tosse e bronquite. A sálvia pode ser usada tanto em pó como as folhas inteiras e fica ótima com massas e aves.

Manjericão





O Manjericão além de muito gostoso, é amigo do sistema cardiovascular e acalma os espasmos da digestão. Quando utilizado em grandes quantidades, é um ótimo fortificante e antigripal.

Alecrim




O Alecrim é uma planta que confere um gostinho leve e especial quando usada na preparação de carnes vermelhas ou peixes. No arroz e em sopas é uma boa pedida também, perfumando o prato e a cozinha. O alecrim combate o vírus da gripe e previne doenças dos rins, da retina e da catarata.

Salsa




A salsinha seja ela desidratada ou em folhas frescas, confere aos pratos um sabor leve e agradável, além é claro, de também ser uma aliada do nosso organismo, pois a salsa combate doenças do coração e dos rins.

Pimentas




A pimenta é muito mais do que um sabor afrodisíaco. O sabor ardido é por causa da capsaicina, substância antioxidante de ação curativa. Além de prevenir alguns tipos de câncer e de reduzir o colesterol ruim (LDL) do sangue, a pimenta também acelera o metabolismo e, por isso, auxilia no emagrecimento.

Coentro




As folhas e as sementes do coentro são ricas em ferro e vitamina C, alivia indigestão e tem poder calmante.

Estragão




As folhinhas do estragão são parecidas com erva-doce. Experimentar estragão vai garantir um sabor novo, levemente adocicado, à comida, além de aliviar a cólica menstrual e auxiliar na digestão.

Hortelã e Menta




Estas duas plantinhas são na verdade parte de um mesmo gênero, a Mentha. Os sabores são muito parecidos e, por isso, ambos caem muito bem como complemento de peixes, carnes e molhos. Além de refrescantes, essas plantinhas são ótimas para a digestão e proporcionam alívio para crises de bronquite, cólica estomacal e intestinal, dores, gripes e tosses.

Louro




Caldinhos de feijão, sopa de legumes e carnes recheadas ficam com um sabor todo especial quando acrescentamos duas ou três folhinhas de louro. Além de perfumar, os chás das folhas de louro proporcionam alívio contra gases.

Orégano




As folhas de orégano fresco dão ainda mais aroma ao prato e por ter propriedades antioxidante ajuda a prevenir o câncer.

Tomilho




Esta erva é muito versátil porque pode ser usada em praticamente tudo na cozinha. Sem contar que é bom para aliviar distúrbios intestinais e prevenir inflamações. Além de muito saborosa, a plantinha é também muito bonita com suas folhas verdes em formato de coração e pequenas florzinhas.

Açafrão




Além de proporcionar um sabor agradável, deixa o prato mais colorido, com tom amarelado. Muito usado na culinária Mediterrânea, o condimento tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatória que melhoram a digestão.

Gengibre




Muito usado pelos japoneses, o gengibre com seu sabor picante e adocicado, pode ser usado tanto em doces como salgados, além de ser bom acompanhamento para sucos e sopas. O gengibre tem propriedades que combatem a dor de cabeça, o enjoo e as náuseas. Por ser também um alimento termogênico, o gengibre aumenta a temperatura do corpo, obrigando o organismo a gastar mais energia.