domingo, 12 de junho de 2016

Alimentos que evitam problema nos rins






Uma dieta equilibrada é fundamental para a saúde renal. Cuidados na alimentação pode impedir o desenvolvimento de problemas renais e é essencial para o bom funcionamento de todo o organismo, pois os rins filtram as impurezas, ajudam a controlar a pressão arterial e ainda produzem hormônios e vitaminas.

A simples ingestão de vegetais frescos, crus, além de alimentos mais integrais, já impede notavelmente o surgimento de dificuldades renais. Vale lembrar que os problemas renais estão diretamente associados a hábitos alimentares errados. Pessoas que exageram no consumo de sal, refrigerantes, embutidos e enlatados se tornam mais susceptíveis a desenvolver essas doenças.

- Alimentos ricos em vitamina K e ácido cítrico evitam a formação de cálculos renais, além de melhorar a mineralização, prevenir e tratar a osteopenia e contribuir para a manutenção de ossos e dentes fortes.
Exemplos desses alimentos são : 

*Limão

*Tamarindo

*Alimentos ricos em clorofila, como as folhas verde-escuro, alface escura, repolho, couve-flor, brócolis, espinafre, aspargo

*Chá verde e de ervas diuréticas (capim-limão, cabelo de milho, quebra-pedra, boldo, carqueja, erva-doce e salsa).

Estes alimentos devem ser consumidos crus, já que o cozimento destrói sua vitalidade, enquanto o congelamento destrói a vitamina K. Assim, os sucos clorofilados (verdes) e desintoxicantes são excelentes para a saúde dos rins, mas precisam ser preparados no momento do seu consumo.

- Alimentos ricos em ômega-3 também são adequados para prevenir doenças renais. 

*Entre eles estão a semente de linhaça. A semente de linhaça de todas as oleaginosas, é a mais rica nesta família de poliinsaturados.

*Sementes germinadas de girassol, gergelim e abóbora podem ser também benéficas.
 
*Os peixes de água fria e o óleo de fígado de bacalhau são outras fontes indicadas. 

- Beber bastante líquido também é imprescindível. Entre as várias funções da água no nosso organismo, duas delas são manter o bom funcionamento dos rins e controlar a temperatura do corpo. Em lugares muito quentes, a água que deveria ir para os rins acaba sendo direcionada para as glândulas sudoríparas, e a pessoa transpira para manter o corpo na temperatura correta. É neste momento que os rins podem ficar com pouca água e micropartes sólidas podem começar a se depositar, formando os famosos cálculos renais.


 Fonte: Real Sociedade Portuguesa de Beneficência Dezesseis de Setembro

Alimentos ideais para reeducação alimentar



Com a chegada do outono, as temperaturas começam a cair, e o clima vai ficando mais seco. E com essa mudança no clima, é preciso manter o foco, para evitarmos os exageros em relação à alimentação.

Abaixo, listamos alguns alimentos que vão fazer com que você permaneça firme na sua reeducação alimentar!

1️⃣ O agrião, fonte de iodo e vitamina C, importantes na produção de colágeno e na cicatrização, auxilia na manutenção do peso e no processo de emagrecimento, pois interfere positivamente no metabolismo.

2️⃣ O almeirão, fonte de cálcio, ferro, fósforo e vitaminas A e B2, também age no metabolismo, facilitando o emagrecimento, na produção das células sanguíneas, na formação dos ossos e na contração muscular.

3️⃣ A banana, rica em potássio, é essencial para a contração dos músculos. E por ser rica em fibras, facilita a digestão, aliviando e restaurando o intestino após diarreia ou prisão de ventre.

4️⃣ A batata doce, famosa entre os frequentadores de academia, é fonte de potássio e cálcio, essenciais na formação dos ossos, diurese, e na contração muscular.

5️⃣ A berinjela é um alimento com poucas calorias, rico em proteínas, que, devido à alta quantidade de fibras, garante saciedade. Além disso, por ser fonte de vitaminas (B1, B2 e C), e minerais (cálcio, ferro e magnésio), conta com antocianina, um fitoquímico antioxidante, que preserva o organismo de doenças crônicas não transmissíveis.

6️⃣ Já o brócolis, é rico em vitaminas A e C, ácido fólico, cálcio, ferro, fibras, fósforo, potássio e selênio.

Agora, é com você! Aproveite a variedade de frutas, legumes e verduras da estação!

Praticar atividades físicas regularmente reduz o risco de desenvolver 13 tipos de câncer



Praticar exercícios físicos é essencial para ter uma boa saúde e longevidade, isto é o que as pesquisas tem demonstrado. Exercitar, além de proporcionar qualidade de vida ainda previne a doença mais temida da atualidade, o câncer.

De acordo com estudos, praticar atividades físicas regularmente reduz o risco de desenvolver 13 tipos de câncer, segundo uma pesquisa publicado na revista da Associação Médica Americana (JAMA).

"Nossos resultados mostram que a relação entre exercício e redução do risco de câncer pode ser generalizada em diferentes grupos de pessoas, incluindo aquelas com sobrepeso e as que foram fumantes", explicou Steven Moore, autor principal do estudo.

Estima-se que 51% dos adultos nos Estados Unidos e 31% no mundo não fazem o mínimo de exercício físico recomendado para estar em boas condições de saúde, destacam os autores do estudo, pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer.

As atividades às que o estudo se refere são: caminhar, correr, nadar ou pedalar, em um ritmo que pode ir de pausado a intenso durante 150 minutos por semana, precisam os especialistas.

Os autores do estudo trabalharam com dados provenientes de 1,44 milhão de pessoas de entre 19 e 98 anos nos Estados Unidos e Europa. Os participantes foram acompanhados durante em média 11 anos, período durante o qual 187.000 novos casos de câncer foram diagnosticados.

O estudo não só confirmou a relação, já comprovada por estudos anteriores, entre atividade física e redução do risco de câncer de cólon, de mama e de endométrio, senão que também revelou este vínculo em outros dez tipos da doença.

Os pesquisadores quantificaram, ainda, a redução do risco para os seguintes tipos de câncer: esôfago (-42%), fígado (-27%), pulmão (-26%), rim (-23%), estômago (-22%), endométrio (-21%), sangue (-20%), cólon (-16%) e mama (-10%), entre outros.

Na maioria dos casos, a relação entre atividade física e redução do risco de câncer se manteve independente do peso da pessoa e de se era fumante ou não. Para o total de cânceres, a diminuição do risco em consequência do exercício foi de 7%.

Por outro lado, as atividades físicas foram relacionadas com um aumento de 5% do risco de câncer de próstata e de 27% de melanoma, um câncer agressivo da pele, principalmente nas regiões mais ensolaradas dos Estados Unidos.

Com informações de France Presse - Correio Braziliense