terça-feira, 27 de outubro de 2015

Quantidade Segura de Ingestão de Carne na Prevenção do Câncer


A OMS classificou a carne processado na lista dos produtos cancerígenos, mas como a carne é um componente importante da alimentação e o consumo adequado traz benefícios para a saúde, as pessoas não devem parar de comer carne, é preciso reduzir a quantidade, já que a carne vermelha fresca, não é processada.

Quantidade Considerada Segura de Ingestão de Carne


A quantidade considerada segura Segundo Oncologista é :

- 70 gramas por dia para homens

- 55 gramas por dia para mulheres.

Como a dieta do brasileiro é rica em carne vermelha, o ideal é reduzir o consumo a no máximo três vezes por semana.

De acordo com estudos para ingestão de carne processada, não se sabe qual seria uma quantidade segura.

O que a revisão de estudos provida pelo IARC concluiu foi que:

- O consumo de uma porção de 50 gramas por dia de carne processada aumenta o risco de câncer colorretal em 18%.

Peso de Alguns Produtos

- 1 salsicha pesa 50 gramas
- 3 fatias finas de presunto pesam 40 gramas
- 7 fatias de salame pesam 40 gramas
- 1 linguiça pode chegar a 100 gramas.

Fonte: G1

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Salsichas, Linguiças, Presunto e Bacon entram na Lista da OMS de Alimentos que causam Câncer

De acordo com relatório de especialistas da OMS (Organização Mundial da Saúde), o maior consumo de carne processada aumenta o risco de câncer do intestino em humanos, e a carne vermelha é fator de risco provável.

Alimentos ligado com o Câncer segundo a IARC (Agência Internacional de Pesquisa do Câncer), braço da OMS baseado na França:

-Salsichas
-Linguiças
-Presunto 
-Bacon 

Já incluía na lista anterior, o tabaco, amianto e fumaça de diesel, para os quais já há "evidência suficiente" de ligação com o câncer. 

A decisão foi tomada com base em estudos novos e análise da literatura médica sobre o assunto existente até agora, em mais de 800 estudos.

"Para um indivíduo, o risco de desenvolver câncer colorretal em razão do consumo de carne processada permanece pequeno, mas esse risco aumenta com a quantidade de carne consumida", afirmou Kurt Straif, chefe de programa Monographs, do IARC, que avalia riscos para o câncer.

Os especialistas endossam estudos segundo os quais para cada porção diária de 50 gramas de carne processada aumenta o risco de câncer colorretal em 18%.

A carne vermelha -- classificação dentro da qual estão tecido muscular de boi, porco, carneiro, bode e cavalo -- foi classificada como um carcinógeno "provável" e entrou na lista do grupo 2A, que contém o glifosato, princípio ativo de muitos herbicidas.

Definição do IARC para carne processada

-Inclui produtos transformados por salgamento, curagem, fermentação, defumação e outros processos para realçar sabor ou melhorar a preservação, afirma um artigo publicado por cientistas do IARC na revista médica "The Lancet", que acompanho a divulgação do novo relatório.

"A maior parte das carnes processadas contém carne de porco ou boi, mas também pode conter outras carnes vermelhas, frango, carne de segunda (fígado, por exemplo), ou subprodutos da carne, como o sangue", afirma o artigo.

A classificação mais branda para a carne vermelha é reflexo de "evidências limitadas" de que ela causa câncer. O IARC descobriu ligações principalmente com o câncer de intestino, mas também observou associações com tumores no pâncreas e na próstata.

Fonte: G1

domingo, 25 de outubro de 2015

O que é melhor ? Suco de Uva Integral ou Vinho Tinto

Resultado de imagem para vinho tinto

Os flavonoides, ácidos fenólicos e o resveratrol encontrados nas sementes e cascas das uvas, possuem atividades antioxidantes, que contribuem para o efeito cardio protetor, incluindo a habilidade de inibir as atividades de agregação plaquetária e formação de trombose. 

O consumo de suco de Uva Integral diminui as chances de obstrução nos vasos sanguíneos e reduz potencialmente os lipídios plasmáticos (desentupimento das artérias). Não podemos exagerar na dose, pois o suco de uva integral apesar de todos os benefícios apresenta alto valor calórico. Deve ser consumido com moderação, recomendado de 1 a 2 copos de 200 mililitros por dia. 

Os flavonóides encontrados na uva, e no suco de uva, têm mostrado que também, como o vinho, previne a oxidação do chamado mal colesterol, LDLs ou Lipoproteínas de Baixa (Low) Densidade que levam à formação de placas de aterosclerose nas paredes das artérias.

O suco de uva também pode reduzir o risco da doença arterial que leva ao infarto do miocárdio de acordo com a médica Jane Freedman, pesquisadora da Universidade de Georgetown. Da mesma forma que o vinho tinto pode, o suco de uva também pode, mas neste caso o suco de uva é mais prático, já que o vinho só previne esta lesão arterial em doses em que as pessoas legalmente já seriam declaradas alcoolizadas, diz o pesquisador John Folts, da Universidade de Wisconsin, enquanto que com o suco de uva se pode beber o suficiente para obter estes benefícios sem o perigo de se intoxicar.

O Vinho Tinto, possui as mesmas propriedades antioxidantes do suco, porém por conter álcool, pode danificar o fígado. Bebidas alcoólicas parecem não melhorar a função celular nos vasos sanguíneos da forma que faz o suco de uva, e, o álcool também gera radicais livres - moléculas instáveis de oxigênio que podem lesar vários tecidos, inclusive o endotélio, membrana interna dos vasos sanguíneos - reduzindo os benefícios do vinho com seus flavonóides sobre as artérias.

Aparentemente o álcool promove a eliminação mais precoce deste antioxidante no sangue e acelera sua eliminação do corpo. Mas o vinho pode promover um benefício pelo menos que o suco de uva não pode, elevar os níveis do bom colesterol no sangue, o HDL. 

Muitas pesquisas estão em andamento buscando respostas mais embasadas para este assunto. Até que estas respostas cheguem até nós bebamos muito suco de uva e de vez enquanto um bom vinho tinto, mas no máximo um taça por dia, pois maior quantidade já prejudica a saúde. 

Fonte: Instituto de Endocrinologia e Nutrição
http://www.drien.com.br/ien2003_alimentacao_vinho_ou_suco_de_uva.htm

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Cálcio Citrato Malato tem melhor Absorção do que o Carbonato de Cálcio


O Cálcio Citrato Malato (CCM) é o resultado de uma reação entre o cálcio, ácido cítrico e ácido málico, fornecendo assim 20% de cálcio elementar. 

 A presença de tais ácidos aumenta a biodisponibilidade do cálcio presente.

Benefícios do uso de Cálcio Citrato Malato:
  • Minimiza os efeitos indesejados no trato gastrointestinal resultante da ingestão de cálcio inorgânico
  • Não interage com outros nutrientes e medicamentos
  • Não diminui a absorção de outros minerais, como zinco e magnésio.
  • Diminuição da perda da massa óssea em mulheres com menopausa
  • Redução do risco de ocorrência de fraturas em indivíduos suplementados por 36 meses.
Estudos realizados com suplementação de Cálcio Citrato Malato demonstraram uma melhor absorção desse quando comparado ao carbonato de cálcio.